28/04/17

Cunha, Secundino - A Casa de Teixeira de Pascoaes - Guimarães, Editora Opera Omnia, 2017. In-4.º; de 53 págs. Enriquecido com bonitas fotografias de Sérgio Freitas.
Enc. do editor € 19,50

Novo.

"A Casa de Pascoaes não deixa esquecer o Poeta.
Tão vetustas quanto robustas, as paredes do velho solar prometem resistir à efemeridade e perpetuar a memória de um dos maiores autores das letras lusas.

Existir não é pensar: é ser lembrado - escreveu Pascoaes, longe de imaginar que a sua casa, que elegeu como fortaleza e considerava o paraíso, seria, a par da sua obra literária, garante de uma existência perene".

4 comentários:

bea disse...

E será que só existe quem é lembrado? e existe em relâmpagos de lembrança?! Mas a lembrança é pensamento, ainda que em Teixeira de Pascoaes o sujeito pensante desinteresse em favor do objecto. Mas é indubitável que quem pensa existe. E também que é por existirmos que pensamos.

Cláudia Ribeiro disse...

Muito existencialista, Bea!
É verdade, só pensamos porque existimos. Verdade incontornável.
Somos seres pensantes!
Infelizmente, muitas pessoas são esquecidas, apesar de existirem e de pensarem!
Felizes os que ocupam o lugar no coração de algum ser vivo, seja pensante ou não!
Parece-me que Pascoaes será dos vão ser sempre lembrados!

Anónimo disse...

Claramente, com casa ou sem casa, Pascoais está em nós e perdurará.
Mas eu sou uma apaixonada das casas museus dos livros, dos pertences dos autores. tocar-lhe é como um abraço.
Parabéns pela obra.

Abraços
mjareal

Cláudia Ribeiro disse...

Amiga Maria José,
A meu ver, Pascoaes será sempre lembrado e lido! Pelo menos assim o merece!
Conservar o seu espólio e dá-lo a conhecer, é de louvar e de aproveitar para o visitarmos.
Um abraço.:)