14/08/14

Poppe, Manuel - A Aranha - comédia sem actos. Lisboa, Editorial Teorema, 2005. In-8.º; de 96-IV págs. Capa: Fernando Mateus.  Br. € 7,50

Colecção «Gabinete de Curiosidades», 34.

Exemplar estimado.
 
"Na história de  A Aranha, um homem e uma mulher falam sem se ouvirem, abraçam-se, sem se abraçarem, agridem-se, tentando esquecer a figura que os obceca, a de um exilado político haitiano, para eles um miserável e desgraçado imigrante. Mas o negro traz consigo a beleza triste de um amor absoluto. E o homem e a mulher e o dono da taberna, em que, incrivelmnt, se encontram, habituados a mais fino, rconhecem que a vida é uma espécie de abismo, onde ningu´m fala, nem ouve, nem ama. E o que é que os angustia, os aprta, os desorienta? O deserto quotidiano? O horror dos destinos traídos? A indiferença? As existências ferozmente defendidas, protegidas contra aquilo que as poderia salvar - o encontro com o Outro? A aranha inquieta-os - sangra-os."

3 comentários:

MJ FALCÃO disse...

Vi e apreciei...mas já tenho! beijinhos e descanse! bem merece e bem precisa...

Isabel disse...

Outro texto de que gostei imenso!
Gostava de o ver em palco.

Um beijinho grande :)

Cláudia Ribeiro disse...

Maria João, já calculava que tivesse o livro em questão...:))
Quanto ao descanso, algum, mas não o necessário!

Um beijinho.:)



Isabel,
Já somos duas! Também adorava ver a representação desta peça.

Um beijinho e bom fim-de-semana.:)